quinta-feira, 12 de abril de 2007

As lágrimas que escorreram pelo rosto, são lágrimas de uma tristeza legítima,
são lagrimas que vieram de um coração esmagado e partido;
lágrimas com sabor agridoce e que traduziam a dor de uma alma cinestésica.
As lágrimas continham palavras adesivadas que repercutiam como uma sombra melancólica.
Tal sensação outrora silenciava a esperança do sonho.
Foram poucas lágrimas, porém suficientes para ecoar o vazio, o nada, o frio;
Entende-se através delas o desgaste, o cansaço, o deserto , o abandono;
Ouve-se quase nada delas.
Mas sente-se a sua expressão profunda ríspida e real
.

2 comentários:

Anônimo disse...

A gota da vida, que arde quando pinga... exteriorizando do corpo a dor...símbolo do que se quebrou por dentro...nos faz humanos a cada gota...

gre disse...

esqueci de por meu nome ali! hehehe