quarta-feira, 23 de julho de 2008

O que é, o que é...

Sou a areia que se deixou guiar pelo vento... poeira.
Sou a àgua que transcorreu a terra... o lodo.
Sou a seiva bruta que se deixou queimar... a fumaça.
Sou a sombra... o contrário... sou aquilo que virá.
Sou a meta, a osmose... a metamorfose.

Palavra Viva de MMM...

Um comentário:

silvia disse...

Compreendi, então, que a vida não é uma sonata que, para realizar a sua beleza, tem de ser tocada até o fim. Dei-me conta, ao contrário, de que a vida é um álbum de mini-sonatas. Cada momento de beleza vivido e amado, por efêmero que seja, é uma experiência completa que está destinada à eternidade. Um único momento de beleza e amor justifica a vida inteira"
Rubem Alves